Home Sobre Linhas de Pesquisa Blog Oportunidades Fotos Equipe Publicações
PhoneWhite01.svg EmailWhite01.svg InstagramWhite01.svg
Home / Blog / Um composto com perfil antioxidante e imunomodulador atenua o comportamento semelhante à depressão e o comprometimento cognitivo observados em modelo de câncer de mama em camundongo
Um composto com perfil antioxidante e imunomodulador atenua o comportamento semelhante à depressão e o comprometimento cognitivo observados em modelo de câncer de mama em camundongo

A alta prevalência de alterações psiquiátricas relacionadas tanto à biologia do tumor quanto ao tratamento antitumoral, como depressão e comprometimento cognitivo, afeta a qualidade de vida de pacientes e sobreviventes de câncer. A neuroinflamação e o estresse oxidativo são alguns dos processos que contribuem para o aparecimento das comorbidades comportamentais dentro do contexto do câncer. Estudos anteriores indicaram que o composto CMI (3 - [(4-clorofenil) selanil] -1-metil-1H-indol) possui um perfil antioxidante e imunomodulador, uma vez que foi capaz de modular o estresse oxidativo e neuroinflamação e atenuar o comportamento tipo-depressivo induzido por um agente imuno-estimulante, o lipopolissacarídeo, ou por estresse agudo em camundongos.

Visto isso, no presente artigo (Casaril et al., 2020) os autores propõem que o composto CMI seria capaz de reverter alterações comportamentais e neuroquímicas em um modelo murino heterotópico de câncer de mama. Os pesquisadores investigaram o efeito do CMI no comportamento tipo-depressivo, no comprometimento cognitivo, na neuroinflamação e no estresse oxidativo desenvolvidos pelo tumor de mama 4T-1. Os experimentos foram realizados em camundongos fêmeas. Os animais foram inoculados com as células tumorais 4T-1 ou com veículo. Após 14 dias desta inoculação, iniciou-se o tratamento com CMI ou veículo por via oral, que foi repetido 1 vez ao dia ao longo de 7 dias seguidos. Os testes comportamentais para analisar o comportamento tipo depressivo e o comprometimento cognitivo foram realizados no dia seguinte ao término do tratamento, além de um teste para analisar a locomoção e o comportamento exploratório dos animais. No final, os animais foram eutanasiados para posteriores testes moleculares que tinham como foco a neuroinflamação e o estresse oxidativo. Além disso, foi feita uma simulação de molecular docking por bioinformática para investigar a interação do composto CMI com algumas enzimas de interesse do estudo, envolvidas com resposta inflamatória e estresse oxidativo.

Os resultados mostraram que o tratamento com CMI atenuou o comportamento tipo depressivo e o comprometimento cognitivo induzidos pelo tumor, sem alterar o crescimento da massa tumoral, o peso e a temperatura corporal. Além disso, o composto modulou a neuroinflamação e o estresse oxidativo em importantes estruturas envolvidas com o comportamento emocional e respostas cognitivas, o córtex pre-frontal e o hipocampo. A análise de molecular docking indicou que o CMI pode interagir com as enzimas iNOS e COX-2, importantes para a formação de mediadores da inflamação e estresse oxidativo, então sua ação anti-inflamatória e anti-estresse oxidativo poderia ser por interagir e prejudicar a atividade destas enzimas. Portanto, o artigo presente foi o primeiro a mostrar que o tratamento com CMI melhora alterações promovidas no sistema nervoso central por um tumor periférico crônico.

 

Por Yurie Sato

Aluna de iniciação científica do Laboratório de Neuropsicofarmacologia e aluna do curso de graduação em Ciências Biomédicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo.

 

Referências

JE Bower, 2008. Behavioral symptoms in patients with breast cancer and survivors. Journal of Clinical Oncology, 26: 768-777. https://doi.org/10.1200/JCO.2007.14.3248.

AM Casaril et al., 2017. Antidepressant-like effect of a new selenium-containing compound is accompanied by a reduction of neuroinflammation and oxidative stress in lipopolysaccharide-challenged mice. 31(9) Journal of Psychopharmacology, 31: 1263-1273. https://doi.org/10.1177/0269881117711713.

AM Casaril et al., 2019. Depression- and anxiogenic-like behaviors induced by lipopolysaccharide in mice are reversed by a selenium-containing indolyl compound: Behavioral, neurochemical and computational insights involving the serotonergic system. Journal of Psychiatric Research, 115: 1-12. https://doi.org/10.1016/j.jpsychires.2019.05.006.

AM Casaril et al., 2019. The selenium-containing compound 3-((4-chlorophenyl)selanyl)-1-methyl-1H-indole reverses depressive-like behavior induced by acute restraint stress in mice: modulation of oxido-nitrosative stress and inflammatory pathway. Psychopharmacology, 236: 2867-2880. https://doi.org/10.1007/s00213-018-5151-x.

AM Casaril et al., 2020. The Antioxidant and Immunomodulatory Compound 3-[(4-chlorophenyl)selanyl]-1-methyl-1H-indole Attenuates Depression-Like Behavior and Cognitive Impairment Developed in a Mouse Model of Breast Tumor. Brain, Behavior and Immunity, 84: 229-241. https://doi.org/10.1016/j.bbi.2019.12.005.

Powered by: Cloud Comp
Nós respeitamos a sua privacidade
Nós utilizamos cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com a nossa política de privacidade.
Eu concordo
Aviso
WidgetCloseButton01.png
Parece que você está offline ou o serviço que você está tentando acessar não existe!
Por favor, verifique a sua conexão com a internet!
Fechar
Aviso
WidgetCloseButton01.png
Ops, algo deu errado!
Fechar